Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

quarta-feira, 30 de maio de 2018

Zé Malandro da Lapa:



Olá amigos seguidores, atendendo ao pedido da seguidora Verônica, irei falar um pouco sobre essa belíssima entidade.

Zé Malandro da Lapa é uma entidade muito versátil, suas vidas encarnadas tinham como sua marca registrada a versatilidade, nunca foi de "chorar miséria", sempre tirou ou ao menos tentou tirar proveito de inúmeras situações na vida. Apreciava bordéis, cabarés e casas noturnas nos mais inóspitos lugares no Rio de Janeiro, tinha amigos e inimigos quase que na mesma proporção, de várias classes sociais. Numa noite era bilhar com os aristocratas, em outra carteado no Cabaré, qualquer dia rolar os dadinhos no bar pé sujo, era assim sua vida, tinha que ser. O destino lhe determinou ser menos abastado, mas ele não se conformou, por isso se meteu a ser "Malandro", isso determinou três fases da sua existência. Primeiro como o "marginalizado", que a sociedade cruel exclui, depois assume o boêmio, toma pra si o esperto. Mas como ninguém fica livre da divida com a espiritualidade, precisou ir além. Assumiu a terceira parte que faltava, roupagem da malandragem espiritual, fundamento de linha, acertar contas, evoluir, trazer o seu médium sempre para a realidade, os pés no chão. Trabalhar sim, nem que seja para resgatar a auto estima de alguns e acender a luz da esperança. É um Malandro jovem, querido, faceiro, "pra cima" como dizem, um pouco vaidoso, auxilia seus médiuns reforçando fé, esperança e também salienta descrição sobre a vida do médium, este preservar - se e ter malicia sobre as pessoas. Confiar mais em si, em Deus, nas entidades e menos nas pessoas, que muitas vezes vão querer fazer o médium de bobo.

Características :
Indumentaria : Costuma utilizar o vermelho e o branco como cores principais. Gosta de calça social branca, camisa listrada, camisa lisa, camisa de seda, pode ou não utilizar paletós ou camisas por cima. Seu chapéu é simples, mas gosta de tudo organizado. Pode eventualmente utilizar cachecol.

Fumo : Cigarro de filtro vermelho.

Bebidas : Cerveja branca, mas pode utilizar cachaças para magia. Whisky e conhaque raramente.

Comidas : Salame com limão, queijos, sardinha frita em 7.

Fundamentos: Baralhos, dados brancos, dados coloridos, dados vermelhos, sinuca, cachaça, bengala, capoeira, samba de gafieira, partido alto, velas vermelhas e brancas, punhais, navalhas, etc.

Espero que vocês tenham gostado, em especial a Verônica.

Obs: Imagem meramente ilustrativa.
Respeitem os direitos autorais.
Esse texto, assim como os outros, estão proibidos para cópias, sejam parciais ou integrais sem prévia autorização da autora. Plágio é Crime.

Salve Zé Malandro da Lapa.
Salve a Malandragem.
onselectstart='return false'