Seguidores

Rádio da Malandragem - Blog Malandros e Malandras;

sexta-feira, 6 de janeiro de 2017

Edição - Falange de Malandras - Malandras do Cruzeiro, da Calunga, das Almas e da Figueira

Olá meus queridos seguidores, após um ano sem postar, voltamos com o blog =)

Eu como sempre, muito atarefada, não estava dando conta do blog e da página no facebook rs, somente agora em 2017, que pude retomar, e nada melhor para falar do que Malandras e Malandrinhas da nossa Umbanda Sagrada. Eu vou retomar as postagens sobre falanges de Malandra, explicando cada falange, com suas características e especificidades, é muito importante ressaltar, que não sou detentora da verdade, eu conheço uma malandra de um jeito, no seu terreiro pode ser diferente e por aí vai. Só é importante sempre pesarmos na balança da consciência, se aquilo que as entidades do meu terreiro fazem, condizem com a umbanda, umbanda da paz, do amor e da caridade. Umbanda com muitas vertentes, mas coisas únicas, como fazer o bem e trazer positividade aos seus adeptos. Axé pra todos vocês, chega de enrolar, vamos malandrear :)


Malandras (Do Cruzeiro das Almas, Da Calunga, Das Almas e Da Figueira) tem a personalidade um pouco parecida, através das giras de malandras em meu terreiro e em terreiros de amigos, pude observar, que Malandras destas falanges costumam ser em sua grande maioria sérias, pode ser que em um ou outro terreiro elas sejam falantes e mais abertas, mas normalmente não. Essas falanges tem ordem direta de Omulu, apesar de Malandras e Malandros serem entidades livres, toda falange de umbanda tem uma irradiação direta, inclusive linhas de ramificações "recentes" como Baianos, Ciganos, Orientais, Malandros e Mineiros. 

As Malandras dessa falange costumam trabalhar com navalhas, punhais, gostam muito de preto e branco, por ser atuação direta da sua falange, podendo entretanto trabalhar com outras cores. As Malandras dessa falange costumam ser as mais bravas, principalmente se cruzadas com a falange de Navalha (Ex:Maria Navalha das Almas, Maria Navalha do Cruzeiro), não gostam de erros de seus médiuns, cobram muito, porém, são muito amigas, independente do erro que o médium cometeu, raramente o "larga" a própria sorte, são capazes de entrar em lugares negativados, para salvar os que tem fé nelas, isso não é costume dentro da linha, nem todo malandro vai entrar numa casa cheia de quiumbas atraídos com os erros de seus médiuns. Quando bem incorporadas variam muito de atividade, já vi algumas que sambavam e depois davam consultas, outras que só davam consultas, dada a seriedade que vem delas. Uma das características diferentes que aprendi com essas falanges foi o uso do aço, não é toda entidade que usa cordão de aço, essas Malandras por influências antigas de quando encarnadas, por sua fé e aproximação com alguns Malandros de Ogum, podem utilizar guias de aço, cordões de aço, pois todos sabemos que aço não é destruído facilmente, aqui não está a questão da vaidade, mas a questão da proteção. Entre vestimenta, normalmente utilizam roupas escuras, calças pretas, camisas pretas, chapéis pretos, que podem ou não ser mesclados com branco/ou vermelho. Bebem cerveja, mas podem beber outras bebidas fortes, como coquinho, cachaça, etc. Raramente jogam baralho, mas quando jogam, tendem a ganhar, não costumam utilizar dados e baralhos para as consultas, porém seu fundamento normalmente está em dados pretos, brancos, transparentes, os naipes paus e espadas e dominós (Mas são raras que trabalham com dominó). Nas cartas sendo o Ás, o 3 ou 7, dependendo do trabalho a ser feito e do fundamento utilizado. Para oferendas, gostam de quase tudo o que a Malandragem come, inclusive sardinhas, ovo de codorna e salame. 

Espero que tenham gostado, muito axé das Malandras de Umbanda para vocês !

Salve a Malandragem !



quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Edição Falanges de Malandras - Falange Encruzilhada na Linha da Malandragem:




Série Malandras - Falange Encruzilhada na Linha da Malandragem:

As Malandras da Encruzilhada são as entidades que tem como ponto de força o encontro de ruas, são entidades que normalmente se apresentam com seriedade nos terreiros. Nada impede que sejam risonhas, abertas, falantes, porém são geralmente reservadas. Trabalham com situações densas dentro do terreiro de umbanda, como auxilio espiritual á viciados e neutralizam forças negativas. Atuam com Malandro da Encruzilhada, Zé Pelintra da Encruzilhada, Malandro das 7 Encruzilhadas e principalmente com Dona Maria Navalha da Encruzilhada. Não gostam de contar suas vidas anteriores, não gostam de brincadeiras fora de hora. Se assemelham em postura com as Malandras da Calunga. Não gostam do epiteto pombagira, lutam muito para se desvincular do termo. São apenas Malandras, entidades muito boêmias, que se perderam nas ruas e hoje ajudam os filhos de fé, para que não se percam.

Saravá Lindas Malandras !!!!!!!

Salve a Falange das Malandras da Encruzilhada.

Salve a Malandragem !!!!!!!!!

terça-feira, 20 de janeiro de 2015

Malandra Rosa dos Arcos da Lapa

Malandra Rosa dos Arcos da Lapa


A Malandra Rosa dos Arcos da Lapa, é uma das primeiras Malandras que se apresentou na Umbanda, isso não faz muitos anos. Ela é uma grande trabalhadora da seara umbandista, sempre muito elegante, trabalha com seu chapéu, sua ginga e tem seus mistérios em ambas falanges. Ou seja, ela trabalha com a energia da falange das Rosas e a força da Falange da Lapa. Normalmente Malandras da Lapa, são muito amigas de suas médiuns, acompanham, aconselham, gostam de trabalhar, mas adoram sambar. Tem muita boêmia essa Malandra, meus respeitos a Malandra Rosa !!!

Salve a Malandra Rosa dos Arcos da Lapa !!!

Salve a Malandragem !!!!


sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

Edição - Falanges de Malandras - Falange Cabaré na Linha da Malandragem

Falange Cabaré na Linha da Malandragem:

As Malandras desta falange são muito belas, sedutoras, alegres e grandes parceiras de suas médiuns. As Cabarés são entidades muito falantes, amigas dos consulentes, de risada fácil e boa jogatina. Adoram baralhos, gostam de jogar baralhos no terreiro de umbanda, acertam a vida dos assistidos assim, não são de fazer rodeios, falam tudo "na lata". Gostam de jogar ronda, e apreciam os naipes de ouros e copas, faz parte do seu fundamento. 

Foram muito humilhadas quando encarnadas, a maioria das entidades tem sofrimento, elas tem muito também. Sempre foram abusadas, porém, tentavam tirar proveito das situações, tinham casos com homens da alta sociedade e não gostavam do estigma mulher da rua, já que se consideravam damas da noite e gatunas nos bordéis de antigamente. 

Trabalham na Linha da Malandragem, auxiliando ás pessoas com problemas financeiros, emprego, aventuras amorosas e no meio das enrascadas, protegem suas médiuns até onde podem, mas se o médium errar muito e decair espiritualmente, são as primeiras a afastar-se. Não por maldade, mas como forma de aprendizado. São muito elegantes no Terreiro, sua presença logo é notada, gostam de saias, chapéu de boa qualidade, piteiras, lenços, perfumes e jóias. Adoram dançar, sambam como ninguém e quando estão sambando, todos os olhares se voltam para elas. Podem ou não trabalhar com a Falange das Rosas.

Salve as Malandras do Cabaré !!!!!

Salve a Malandragem !!!!!!!



terça-feira, 30 de dezembro de 2014

Relação de Maria Navalha e outros Malandros.


Olá Seguidores, meus respeitos a todos.

É com muita humildade, zelo e cuidado que abordarei o tema; Antes de tudo quero deixar claro, que não sou a dona da verdade, e vocês tem o direito de discordar ou concordar com o que escrevo, acho interessante os que me mandam emails, uns discordam e apresentam argumentos. Agradeço muito a todos que me mandam email. Estou devendo uma postagem á uma seguidora, sobre o Malandro Camisa Preta, espero em breve conseguir escrever, me desculpe pela demora inclusive. Voltando a Dona Maria Navalha e os outros Malandros, vamos tentar desmistificar ás relações da querida Malandra de umbanda e "companheiros" da Linha.



Muitas são as histórias e estórias sobre as entidades, a Malandra Maria Navalha tem muitas publicações, não só aqui, mas em muitos lugares da internet. Existem poucas casas que estudam profundamente suas histórias e mistérios. Eu conheço ela há alguns anos, quando criei o blog, muito pouco se ouvia falar sobre ela, alguns á excluíam do terreiro, outros tratavam como pombagira, outros achavam que era mentira das médiuns. Hoje ela é popular, quase todos os terreiros cuidam de uma ou muitas Malandras, alguns cuidam corretamente ao meu ver, outros não, mas vai de casa para casa. Dentro do que é dito sobre a Navalha, algumas coisas são verdadeiras e claras, ela é uma entidade brasileira, diferente da Linha das Pombagiras, que abrigam falanges de espíritos de muitos países. Estudei por muito tempo sua personalidade, características, como não tinha coisas dela em livros, apostilas ou sites, comecei a observa-la, fiz amizades com pessoas que tinham ela, até que finalmente ela incorporou no meu humilde terreiro, foi a glória, achei ela magnifica, mas isso é coisa de filha de fé umbandista que sou, pois ela é muito simples. Durante os estudos, percebi que cada um escrevia que ela nascera em um lugar, portanto isso é muito relativo. Ela pode ter nascido na Bahia, Minas Gerais, Recife ou Rio de Janeiro, isso não importa muito, porém vamos adentrar os mistérios dela e dos outros Malandros.



Já ouvi dezenas de vezes pessoas falando que Maria Navalha é mulher do Seu Zé Pelintra, eu não desconsidero o carinho, gratidão que algumas tem por ele. Isso quer dizer que algumas Navalhas até o consideram, porém, isso não é universal, muito menos comum, como a maioria das pessoas acha. Eu conheci Navalha que mal cumprimentava seu Zé, trabalhava com outros Malandros, mas não com ele. Aí surgiam outras perguntas, então ele matou ela ? Então ela matou ele ? Viveram ou não juntos ?




Todas essas indagações são muito vagas, pois seu Zé aparece nas histórias da Navalha, mas sempre como o boêmio que a salvou, que lhe deu uma Navalha de presente. Eu acredito que é daí que surgem ligações entre ambos. Apenas isso. Se eles tiveram ou não um caso, quando encarnados, isso não importa mais, pois eles vem nos terreiros prestar caridade, ajudar pessoas e não para pensar no que foram ou fizeram. É por isso que eles não contam suas histórias, porque erraram muito e estão nos templos espirituais para ajudar ás pessoas, que muitas vezes podem estar no caminho do erro também.


Outra coisa que acho interessante e merece ser falada, é que antes da falange das malandras, vieram os Malandros. Seu Zé é um encantado, mestre, originário do catimbó, portanto, acredito eu que quando a Maria Navalha desencarnou, seu Zé ou outras entidades de umbanda a acolheram. Para que assim fosse resgatada e tivesse a chance de melhorar.

Agora voltando para a relação da Navalha e outros Malandros, é o que disse no texto anterior, entidades não namoram, entidades não se beijam, entidades se respeitam muito e trabalham juntos, para ajudar as pessoas. As Malandras trabalham em sua maioria, com Malandros que elas já conhecem, ou seja, a Malandra das Almas pode trabalhar com Malandros com nomenclaturas afins, como por exemplo, o Malandro da Calunga. Eles podem ter sido, amantes, amigos, pai e filha, comparsas, irmãos quando encarnados, e é devido a isso que podem trabalhar juntos.

Muitos terreiros trabalham com a Navalha atualmente, praticamente todos a recebem, apesar de antes isso não ser tão comum, porém, ela mesma me disse, que tem entidades que ela não gosta de trabalhar, ela admite.  Ela não gosta de Malandros que ainda se acham os tais ...rs, não gosta de malandras muito refinadas, porque ela não é, fala que não combina em nada com ela, porém as respeita. 

E ela fala que Malandro por Malandra, ela é Maria Navalha.

Se houverem discordâncias, podem me mandar um email ou comentar na fã - page do Facebook.

Salve a Malandragem !!!!

Salve Maria Navalha !
onselectstart='return false'