Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

terça-feira, 5 de junho de 2018

Malandro da Estrada


Uma seguidora me pediu para falar desse Malandro, esse Malandro é uma entidade muito comum nos terreiros de umbanda, costuma apresentar - se de modo simpático, é o homem faceiro que traz leveza e esperança aos corações. É muito direto em suas mensagens, fala sem rodeios sobre o que os consulentes necessitam saber, porém, ele precisa de um bom desenvolvimento para atuar de maneira plena na vida do médium. Isso modifica sua forma de trabalho, caso não exista um espaço para sua atuação, tudo fica um pouco limitado, no sentido que o médium não compreende esse espirito. Ele gosta de ensinar seu médium, "guiar" pelos bons caminhos, propiciar boa intuição e condicionar para evolução, assim como todos os Malandros e Malandras. 
Quando bem desenvolvido mostra suas múltiplas formas de trabalho, atuando em muitos setores e tendo seus trabalhos complementados por Exus, Pombagiras, Malandras e Falangeiros de Zé.
Tem como roupagem a simplicidade, a boêmia, a alegria e a descontração, mantendo o respeito pelos menos favorecidos, por mulheres e por parceiros. 

Características:
Indumentária: As cores tradicionais da Malandragem da Umbanda, vermelho e branco, raramente utilizando o preto. Camisas listradas, camisas brancas, camisas na cor vermelha, camisas de seda, calça social branca, calça de linho, chapéus simples (aba curta) e panamá clássico são as preferências. Pode eventualmente utilizar lenços no bolso da camisa e cachecol.

Bebida: Cerveja branca. Gosta de tulipas e copos tradicionais.

Comidas: Salames, azeitonas, farofas, queijos, etc.

Fumo: Cigarro filtro vermelho, raramente filtro branco.

Fundamentos: Baralhos (Normalmente mais que um), dados brancos, dados vermelhos, dados coloridos, sinuca, capoeira, samba, garrafas, pembas, velas brancas, velas brancas e vermelhas, entre outras coisas.

Espero que vocês tenham gostado !
Muito Axé e Salve o Malandro da Estrada.

Obs: Respeitem os direitos autorais.
Imagem meramente ilustrativa.
Esse texto, assim como os outros, estão proibidos para cópias, sejam parciais ou integrais sem prévia autorização da autora. Plágio é Crime.


Malandra Maria Navalha da Calunga


Atendendo ao pedido da seguidora Fernanda, vou falar um pouco sobre Dona Navalha da Calunga, mulher que pode parecer muito séria ás vezes, porém, obstinada a realizar seu trabalho da melhor forma possível.
Essa Malandra costuma ter humor a meio termo, tendenciando mais para o lado sério, ela trata das coisas sombrias dos seres humanos, ela é uma grande operadora espiritual na libertação de vícios e retirada de densidade negativa. Trabalha essencialmente com Malandros das Almas e eventualmente com Malandros do Cruzeiro, ela também trabalha com Malandras, assim como as outras falangeiras de Maria, mas tem antigas ligações com o Povo das Almas e os Malandros que compõem. É muito obstinada em tudo o que faz, algo que á caracterizou por muitas vidas, sempre foi muito teimosa, o que alguns enxergavam erroneamente como prepotência, mas era apenas algo que fazia parte do seu ser. Suas características marcaram suas encarnações, houve muita dor, sofrimento e intensidade, mas ela não se importa com mais nada disso, tanto que evita contar muitos fatos do seu passado, ela não deseja omitir de seus médiuns os seus erros, acertos, dúvidas, dividas e escolhas, mas deseja que estes olhem para frente, enxerguem o futuro, contemplem a compaixão, vivenciem a humildade e saibam o seu verdadeiro lugar no mundo. 

"O momento importante é o aqui e agora, meu passado já não dói tanto quanto antes, eu recebi a oportunidade de renascer, renasci Maria, honrei Navalha e firmo meu ponto no Campo Santo, eu sou grata pelo rumo que meu destino tomou, sejam gratos também, ajudem as pessoas, sejam umbandistas, não só da "boca pra fora", cuidem do mundo, ele carece de amor, mais do que isso, ele carece de verdade (sinceridade), e isso eu tenho de sobra." (Palavras dela).

Algumas de suas atuações: Retirada de energias negativas, neutralização de obsessores, resgates espirituais, defesas e tratamento de vícios (físicos, emocionais, mentais e energéticos).
As pessoas que tem padrão vibratório muito baixo e "pensam" muitas coisas negativas, podem ser tratadas por essa Malandra, mas ela é extremamente exigente com seus protegidos.

Características:
Indumentária: Ela trabalha muito com a cor preta, mas pode utilizar branco e raramente vermelho. Alterna em questão de saias e calça, varia por médium e regras de terreiro. Em geral apreciam calças. Gosta de chapéus de boa qualidade, sendo muito exigente com suas coisas, no sentido de estar tudo sempre muito limpo e organizado. 

Religiosidade: Trabalha para Oyá e Obaluaiê, raramente para Nanã.

Bebidas: Cerveja branca, preta, cervejas fortes, conhaque, Whisky, gim, etc. Copos simples, copos de whisky e tulipas.

Fumo: Cigarro de filtro vermelho, cigarro filtro branco e raramente charutos.

Fundamentos: Baralhos (verso preto), dados, cachaças, pemba branca, cruz, crucifixo, punhais, navalhas, velas brancas, velas de cera, velas brancas e pretas, pembas, chaves, etc.

Espero que vocês tenham gostado, especialmente você Fernanda.

Salve Maria Navalha da Calunga !
Salve a Malandragem !

Obs: Respeitem os direitos autorais.
Imagem meramente ilustrativa.
Esse texto, assim como os outros, estão proibidos para cópias, sejam parciais ou integrais sem prévia autorização da autora. Plágio é Crime.


A Figa e o Povo da Malandragem :



A figa que é de origem italiana, caiu no gosto popular dos brasileiros há muitos anos, ela e a maioria das crendices populares podem ser relacionadas aos Malandros e Malandras, isso advém de muitas questões, mas as principais são suas origens pobres quando encarnados, a fé e a religiosidade que praticavam e o passado nas encantarias e catimbós. A figa é um amuleto, conferindo proteção contra mau olhado, negatividades e "quebrantes", e assim como os demais amuletos, ela tem poder de absorção energética, seu material influencia diretamente nisso, por isso é importante ver "além" do objeto de ostentação, bijuteria e afins, escolher o material faz parte da magia. Também é um símbolo de boa sorte.

As mais utilizadas são : Guiné, arruda, azeviche, aço, cristais (pedras naturais) e jacarandá.
Compre a figa, pergunte aos zeladores e leve para a Gira da Malandragem, converse com o rezador (Zé Pelintra) e com a Benzedeira (Maria Navalha), eles vão cruzar, te ensinar, te orientar e você terá mais uma proteção. Poderá usar no corpo, bolsa, pasta, carro, casa, berço do bebê. Mas ouça eles com fé. 





E você aí pensando que só preto velho sabe usar figa e benzer. 

Axé e viva a cultura popular !


Obs: Respeitem os direitos autorais.
Imagem meramente ilustrativa.
Esse texto, assim como os outros, estão proibidos para cópias, sejam parciais ou integrais sem prévia autorização da autora. Plágio é Crime.

segunda-feira, 4 de junho de 2018

As Faces de Maria e a Indumentária de Malandras da Umbanda - Texto básico :



Eu vi algumas discussões sobre as indumentárias de Malandras, possíveis explicações a partir disso, opiniões diversificadas e também um texto de um seguidor, que em breve irei publicar. Mas aproveitando o espaço da página, quero ensinar mais algumas coisas a vocês, muitos aqui já até devem saber, outros irão compreender melhor, de qualquer forma espero ajudar a todos.

A utilização da calça :
Malandras não utilizam calças por causa das suas vivências, não só por isso. A calça também faz parte de um processo de aceitação delas nas casas umbandistas, elas pediam para mostrarem o seu fundamento, já que algumas receberam essa roupagem, esse arquétipo. O contraponto social, a força da mulher independente. Mas isso significa que apenas as que utilizam calças são Malandras "de verdade" ?
Claro que não.
Outras Malandras receberam seu arquétipo, fundamentação, mas suas atuações tem um direcionamento um pouco diferente.
Existem Malandras de todos os tipos, inclusive algumas que irão alternar no uso de calças e saias. Esse fato de alternar pode ter haver com sua roupagem fluidica, trabalhos naquela gira e gostos. Apesar de parecer vaidade, isso é algo simples, que elas ainda tem escolha, caso tenham autorização, é claro.

- Malandras de calça podem gostar de maquiagens e jóias.

- Malandras de saia podem gostar de roupas simples e poucos acessórios.

Malandras de calça e suas vivências :

Capoeira, fuga da policia, disfarce em ambientes masculinos, desafios sociais, gostos pessoais, orientação sexual quando encarnada, fluidez, agilidade, independência, luta (principalmente contra o machismo e abusos), roupagem fluidica, entre outras coisas. Um leque muito grande de possibilidades.

Malandras de saia e suas vivências :

Roupagem fluidica, feminilidade, sexualidade, atuação em questões amorosas, ancestralidade, gostos pessoais, sedução, elegância, entre outras coisas.

As entidades merecem respeito, independente se utilizam calças ou saias, ou mesmo se alternam no uso dessas peças. O trabalho realizado é o que realmente importa.

Salve todas as Malandras !

Obs: Respeitem os direitos autorais.
Imagem meramente ilustrativa.
Esse texto, assim como os outros, estão proibidos para cópias, sejam parciais ou integrais sem prévia autorização da autora. Plágio é Crime.

Maria Navalha - Médium Bruna Aurélio


Salve Maria Navalha! Dama de axé. Médium Bruna Aurélio. 
onselectstart='return false'