Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

domingo, 22 de maio de 2011

Mais Curimbas de Malandros!


 ALGUMAS CURIMBAS DE MALANDROS :

ZÉ PILINTRA NO CATIMBÓ
É TRATADO DE DOUTOR!
QUANDO ABRE A SUA MESA
TEM FAMA DE REZADOR!



QUEM É AQUELE HOMEM SENTADO LOGO ALI...
TODO DE TERNINHO BRANCO, CHAPÉU DE PALHA
OLHOU PRA MIM... ELE É O ZÉ...
O ZÉ PILINTRA É...
ELE É MALANDRO, ELE É BOÊMIO, ELE É DE FÉ...



SEU ZÉ FECHE A PORTEIRA, CANCELAS E TRONQUEIRA!
NÃO DEIXE O MAL ENTRAR
OLHA QUE O GALO JÁ CANTOU NA ARUANDA
FAROFA NA FUNDANGA EU QUERO VER QUEIMAR!



OI ZÉ QUANDO FOR LÁ À LAGOA
TOMA CUIDADO COM BALANÇO DA CANOA
OI ZÉ FAÇA TUDO QUE QUISER
SÓ NÃO MALTRATE O CORAÇÃO DESSA MULHER!



EU ENCONTREI O ZÉ PILINTRA NA ESTRADA...
CHORANDO PELO AMOR DE UMA MULHER...
ELE CHORAVA POR UMA MULHER CHORAVA POR UMA MULHER..
CHORAVA POR UMA MULHER QUE NÃO LHE AMAVA...



QUEM É QUE USA GRAVATA VERMELHA,
TERNO BRANCO E CHAPÉU DE BANDA,
É SEU ZÉ PILINTRA, É DOUTOR DE UMBANDA
QUE VEM CHEGANDO DA SUA ARUANDA
BRAVO SR ZÉ PILINTRA CHEGOU!



JUREMA, JUREMINHA, JUREMEIRA
SARAVÁ SEU ZÉ PILINTRA
SALVE A FOLHA DA GAMELEIRA!



COM SEU CHAPÉU DE PALHA
E SEU LENÇO NO PESCOÇO
ZÉ PILINTRA ESTÁ NA TERRA
PRA DIZER: BOA NOITE, MOÇO!
MORADOR LÁ NO SERTÃO
TRAZ SUA FIGA NO PÉ
SE NÃO ESTÁ ABORRECIDO
LOUVA JESUS DE NAZARÉ!



TRANCA RUAS E ZÉ PILINTRA
SÃO DOIS GRANDES COMPANHEIROS,
TRANCA RUAS NA ENCRUZA,
E ZÉ PILINTRA NO TERREIRO.



TEM GENTE QUE ME CHAMA DE AMIGO,
MAS NÃO POSSUI NO CORAÇÃO A LEALDADE,
SE PENSAM QUE ME ENGANAM, EU NÃO ME ILUDO,
SEM LEALDADE NÃO EXISTE AMIZADE, É SÓ FALSIDADE!



LÁ NO MORRO SIM, É QUE É LUGAR DE TIRAR ONDA. TOMANDO BRAHMA DE MEIA, JOGANDO BARALHO E RONDA.



DE MADRUGADA QUANDO VOU DESCENDO O MORRO,
A NEGA PENSA QUE EU VOU TRABALHAR. EU BOTO MEU BARALHO NO BOLSO,
MEU CACHECOL NO PESCOÇO.
E VOU PRA BARÃO DE MAUÁ!
MAS TRABALHAR, TRABALHAR PRA QUÊ?
SE EU TRABALHAR EU VOU MORRER.



DE DIA NUMA LINDA BATUCADA
DE NOITE NOS BRAÇOS DA AMADA.
QUAL É QUE É, SEU ZÉ. QUAL É QUE É?
EU SEI QUE SEU CASO É MULHER.



CALÇA, CULOTE, PALETÓ, CAMISA FINA,
SÓ ME FALTA UMA BOTINA, PRA ACABAR DE AJEITAR,
É ZÉ PILINTRA SIM SENHOR, É ZÉ PILINTRA SEU DOUTOR,
SEU DOUTOR, SEU DOUTOR…



SEU ZÉ PILINTRA É QUEM CHEGOU AGORA,
SEU ZÉ PILINTRA VEM PRA TRABALHAR,
SEU ZÉ PILINTRA MESTRE DE ARUANDA,
VAI FIRMAR SEU PONTO NESTE CONGÁ,
ELE VEIO FOI DE ALAGOAS,
MAS ELE VEIO PRA LHE AJUDAR,
SEU ZÉ PILINTRA MESTRE DE ARUANDA,
VAI FIRMAR SEU PONTO NESTE CONGÁ.



DE TERNO BRANCO
SEU PUNHAL DE AÇO PURO
SEU PONTO É SEGURO
QUANDO VEM PRA TRABALHAR
SEGURA O NEGO
QUE ESSE NEGO É ZÉ PILINTRA
NA DESCIDA DO MORRO
ELE VEM TRABALHAR



ZÉ PILINTRA, ZÉ PILINTRA,
BOÊMIO DA MADRUGADA,
VEM NA LINHA DAS ALMAS,
E TAMBÉM NA ENCRUZILHADA,
AMIGO ZÉ PILINTRA,
QUE NASCEU LÁ NO SERTÃO,
ENFRENTOU A BOEMIA,
COM SERESTA E VIOLÃO,
HOJE NA LEI DE UMBANDA,
ACREDITO NO SENHOR,
POIS SOU SEU FILHO DE FÉ,
POIS TEM FAMA DE DOUTOR,
COM MAGIA E MIRONGAS,
DANDO FORÇAS AO TERREIRO
SARAVÁ SEU ZÉ PILINTRA,
O AMIGO VERDADEIRO.



VALEI-ME SENHORA APARECIDA,
PORQUE TU ÉS A GRANDE PADROEIRA,
VALEI-ME SENHORA DO AMPARO,
ESTRELA GUIA E O MEU POVO DA BAHIA,
VALEI-ME SENHOR DO BONFIM,
E OS BAIANOS DESTE PADROEIRO,
VALEI-ME ORIXÁ FORMOSO,
QUE GIRA - GIRA NESSE TERREIRO,
QUEM VEM NA FRENTE É SEU ZÉ PILINTRA,
COM SEU CHAPÉU DE LADO, SEU LENÇO ENCARNADO,
ELE VEM SAUDAR FILHOS DE NAZARENO,
PRA DAR MAIS FORÇA NESSE TERREIRO.



SEU ZÉ PILINTRA QUANDO VEM LÁ DE ARUANDA,
VEM VENCER SUA DEMANDA, VEM ABRIR SEU JACUTÁ,
SAUDANDO O SOL, SAUDANDO O MAR,
A ESTRELA GUIA QUE CLAREIA ESTE CONGÁ,



SEU ZÉ PILINTRA QUANDO VEM,
ELE TRÁS SUA MAGIA,
PARA SAUDAR TODOS SEUS FILHOS,
E RETIRAR FEITIÇARIA,
PISA NA ARUANDA ZÉ PILINTRA EU QUERO VER,
PISA NA ARUANDA ZÉ PILINTRA EU QUERO VER.



EU BEM QUE DISSE A VOCÊS, MAS PARECE QUE EU ADIVINHO,
E O FEITIÇO QUE TU TINHAS SEU ZÉ PILINTRA TIROU,
DEU MEIA NOITE NA LUA, DEU MEIO DIA NO SOL,
SUSTENTE O PONTO SEU ZÉ QUE O PONTO É DE CATIMBÓ.



SEU ZÉ PILINTRA NÃO TEVE PAI,
SEU ZÉ PILINTRA NÃO TEVE MÃE,
ELE FOI CRIADO POR OGUM BEIRA MAR,
EM NOME DE DEUS E DE TODOS ORIXÁS!



LÁ VEM ZÉ, LÁ VEM ZÉ,
LÁ VEM ZÉ, LÁ DA JUREMA,
LÁ VEM ZÉ, LÁ VEM ZÉ,
CHEGOU ZÉ DO JUREMÁ,
QUANDO SENHOR ZÉ VEM DA JUREMA,
TODO MUNDO QUER LHE VER,
SENHOR ZÉ, NÃO DESCE NUMA MESA,
QUE NÃO TENHA O QUE BEBER,
PRA SENHOR ZÉ - TEM, TEM,
PRA SENHOR ZÉ - SEMPRE TERÁ,
PRA SENHOR ZÉ - TEM O QUE BEBER,
PRA SENHOR ZÉ - TEM O QUE FUMAR.



SENHOR ZÉ BEBEU,
QUEM MANDOU SENHOR ZÉ BEBER?
BOTE NO COPO QUE A CANECA ESTÁ FURADA...
SENHOR ZÉ NÃO BEBEU NADA!
A CACHAÇA É BOA,
É DO PRA DA JARRA,
AQUI MESMO EU BEBO,
AQUI MESMO EU CAIO,
E AQUI MESMO EU ME LEVANTO,
SEM DAR TRABALHO!



SOU EU JOSÉ DOS ANJOS
QUE PASSEI POR SUA "ALDEIA"
7 ANJOS ME ACOMPANHAM
7 VELAS ME ALUMEIAM
DE CAMINHO PRA SANTA RITA
EU PASSEI POR QUATRO CANTOS
DANDO O NOME DE PILINTRA
MAS O MEU NOME É JOSÉ DOS ANJOS
JOSÉ DOS ANJOS SEREI,
JOSÉ DOS ANJOS SERÁ,
SOU UM MESTRE BOM DA JUREMA,
EU SOU O REI DO MEU JUREMÁ,
É UM REI, É UM REI, É UM REI ARRIÁ,
TRIUNFA JOSÉ DOS ANJOS NA MESA DO JUREMÁ.



FOI NA MATRIZ DE BELÉM,
NO ALTAR DA CONCEPÇÃO,
DEFUMANDO OS MEUS FILHOS,
COM OS PODERES DA SANTÍSSIMA TRINDADE,
Ô MEU BOM JESUS,
ELE QUEIRA ME GUIAR,
POIS NA MATRIZ DE BELÉM,
MORA O PAI CELESTIAL,
EU ROMPO MATAS E BRENHAS,
DESDE A VARANDA DO JUREMÁ,
EU ME CHAMO É ZÉ PRÁ-TUDO,
E PARA QUE MANDOU ME CHAMAR?
NAQUELE PAU A CIMA TEM UM REI,
CORRE O CIPÓ MOCUNÂ,
DESDE AQUELA GALHA À FORA,
CANTA UM PÁSSARO, É UM REI CAUÃ,
CANTA REI CANTA REI CAUÃ,
CANTA REI CANTA REI CAUÃ.



QUEM QUISER QUE A SOMBRA CUBRA
QUEM QUISER QUE A SOMBRA CUBRA
FIQUE NUM PAU RAMALHUDO
POIS A SOMBRA DE ZÉ FELIPE
E A SOMBRA QUE COBRE TUDO.



QUEM TIVER DORMINDO ACORDE
QUEM TIVER DORMINDO ACORDE
QUE MEU RELÓGIO JÁ DEU HORA
POBREZINHO DE ZÉ MOLEQUE
POBREZINHO DE ZÉ MOLEQUE
ELE VEM CHEGANDO,
VEM DE MUNDO À FORA
NA BOLA DE SEU APITO
NA BOLA DE SEU APITO
TEM SEMENTE DE JUREMA
ELE É MOLEQUE, ELE É MENINO
ELE É MENINO ELE É TRAQUINO.



ELE SE CHAMA ZÉ DA BAGACEIRA
QUE VOCÊS OUVIRAM FALAR
TRABALHAVA DIA E NOITE
DENTRO DOS "CANAVIÁ"
MAS LÁ NO SEU ENGENHO
ELE SÓ TEM É CANA-FITA
ELE SE CHAMA ZÉ DA BAGACEIRA
DO ALTO DA BELA VISTA
ELE VAI FAZER BAGAÇO
NO ALTO DA BELA VISTA
ELE É ZÉ DA BAGACEIRA
DO ALTO DA BELA VISTA.



SENHOR ZÉ GOSTA DE CANA
E A CANA GOSTA DE ZÉ
SENHOR ZÉ VIRA A CANA
E A CANA NÃO VIRA ZÉ
MAS CHEGOU UM BÊBADO
NO MEIO DO SALÃO
NO MEIO DO SALÃO
ELE APANHOU DE CIPÓ
MAS SR. ZÉ...
QUAL É O PÓ?



SR. ZÉ TEM UMA BENGALA
QUE NA PONTA DELA TEM SETE FIVELAS
O INIMIGO QUE APANHA COM ELE
OU LHE DÁ UM COÇA-COÇA
OU LHE DÁ UM PÉLA-PÉLA!



JOSÉ PRETINHO, MEU NEGUINHO
TIRE O CHAPÉU DA CABEÇA
QUEM TIVER BOM, BOTE
QUEM NÃO TIVER, NÃO SE META
EU QUERO O MEU SERVIÇO FEITO
NA SOMBRA DE UM "PAU-LINHEIRO"
EU VOU CORTAR GALHOS DE JUREMA
PRA DAR LAPADA EM FEITICEIRO
O PAU PENDEU, O PAU PENDEU
DA JUREMA CHEGUEI EU
O PAU PENDEU, MAS NÃO CAIU
EU PASSEI PELA JUREMA E NINGUÉM NEM ME VIU.
EU JÁ PLANTEI UMA SEMENTE
NO QUINTAL DE UM MACUMBEIRO
ELE TRABALHA NOITE E DIA
MAS EU TRABALHO O ANO INTEIRO.
CEGO É QUEM NÃO ENXERGA
POR UMA CERCA DE VARAS...
NÃO HÁ QUEM CUSPA PRA CIMA
QUE NÃO LHE CAIA NA CARA.




CHAPÉU AMARELO
LÁ NO MEU GONGÁ
É SENHOR JOSÉ PILINTRA, AI MEU DEUS
NA MESA ARRIÁ
OLHE PARA O CÉU E VEJA UMA LUZ
É JOSÉ PILINTRA, AI MEU DEUS
QUE VEM RECEBER A LUZ...
QUE DEUS LHE DÊ MAIOR PODER
E DA MAIOR FORÇA QUE HÁ....!
QUEM FOI QUE VIU ZÉ PILINTRA
BRINCANDO NESTE SALÃO
COM A SUA GARRAFA DE PINGA
E SEU CHARUTO MÃO
DENTRO DA VILA DO CABO
FOI PRIMEIRO SEM SEGUNDO
NA BOCA DE QUEM NÃO PRESTA
ZÉ PILINTRA É VAGABUNDO
DENTRO DA VILA DO CABO
SETE VENDAS SE FECHOU
FOI COM A FUMAÇA CONTRÁRIA
QUE ZÉ PILINTRA MANDOU
EU NÃO GOSTO DE CACHAÇA
E NEM MEU MANO GOSTA DELA
EU BEBO SETE GARRAFAS
E MEU MANO, SETE TIGELAS.



Pontos de Domínio Público.

terça-feira, 17 de maio de 2011

Pontos Cantados na Umbanda ao Seu Zé Pelintra e ao Povo da Malandragem :



Será que foi feitiço seu Zé?
Pra eu ficar, do jeito que eu Fiquei.
Sete dias andando,
Sete dias bebendo por aí, só pra ver passar,
Aquela linda mulher.
Olha ela aí seu Zé, olha ela, aí,
Girando assim,
Como dama gira na Noite de Cabaré!



Você tá vendo aquela casa pequenina, lá no alto da colina
Que eu mandei fazer...
É Lá que o malandro mora,
Otário não tem Moradia.


O morro de Santa Tereza tá de luto,
porque o malandro Morreu.
Ele não morreu, ele desapareceu...
Na decida da ladeira seu Zé Pelintra apareceu.


Ô Zé quando for para lagoa
toma cuidando com o balanço Da canoa.
Ô Zé faça tudo que quiser
só não maltrate o Coração dessa mulher...


Zé Malandrinho do morro preciso de você pra me tirar de um Sufoco, A vida sem você, não vale nada, Zé Malandrinho, meu camarada.



Quando eu desço do morro,
A nega pensa que eu vou trabalhar,
Eu trago o meu baralho no bolso,
Meu cachecol no pescoço,
E vou pra barão de Mauá,
Trabalhar, trabalhar pra que?
Se eu trabalhar eu vou morrer!



Estava sentado na praça,
Quando a polícia chegou.
Eu tenho um sentimento profundo
Me levaram preso como um vagabundo.


Zé, Zé Pelintra enganador,
Enganou a moça dizendo que era doutor,
Zé, Zé Pelintra enganador,
Enganou a moça dizendo que era doutor,
Eu não, não fui eu que enganei,
Quando eu passava, ela dizia Zé pelintra meu amor.

Sou eu José pelintra,
Nego do pé arranhado,
Na direita eu sou bonzinho,
Na esquerda eu sou danado,
Seu doutor, seu doutor
Zé pelintra chegou.


Seu Zé Pelintra
Na Aruanda ele é caboclo
Deus me de força
Pra com ele eu trabalha
É o rei
É o rei
É o rei do panamá
É o rei
É o rei
Ele é rei
No meu congá
Salve seu Zé! Saravá

De terno branco seu punhal de aço puro,
Seu ponto é seguro,
Quando vem pra trabalhar,
Segura o nego, que esse nego é Zé pelintra,
Na descida do morro,
Ele vem trabalhar.


A história de um, certo Zé eu agora vou contar, ele fez uma
Promessa, nos braços de iemanjá, a canoa já virou, olha a marola
Lá no mar, se salvasse a sua vida da bebida, ele ia largar por
Causa dessa promessa, nego Zé se transformou saravá seu Zé
Pelintra na umbanda ele é doutor.


Se a rádio patrulha,
Chegasse aqui agora,
Seria uma grande vitória,
Ninguém poderia correr,
Agora que eu quero ver, quem tem malandro não pode correr.


Bravo senhor, bravo, seu Zé Pelintra chegou,
Matou pai,matou mãe
Matou padrinho e madrinha,
Matou um cego na estrada,
E um aleijado na



Neste dia tão brilhante todos nós vamos louvar
O amigo importante, que na Umbanda não pode faltar
Ele é seu Zé Pelintra que vive na vadiagem...
Ele é chamado de Rei, é o Rei da Malandragem!
Mas ele é... mas ele é...
Seu Zé Pelintra também chamado de Zé...


Pulando cruzado no meio do terreiro chegou Zé
Pelintra que veio da Gege nagô. Chegou Zé pelintra que veio do
lado de La. Fumando e bebendo dizendo vamos sarava...


Pegue o papel e tire o prateado
Aperte bem fininho, está pronto o baseado!
Salve seu Zé, salve a malandragem!

Coitada da vizinha da esquina,
que foi falar mal do seu Zé ,
Vejam o que aconteceu com ela
virou mulher de Cabaré!


Obs: Pontos Cantados de Domínio Público.
onselectstart='return false'