Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

segunda-feira, 4 de junho de 2018

Pontos de Malandros:


Seu Zé Pelintra

1
Zé Pelintra bateu pra você, Zé Pelintra bateu bem assim (2x)
Roda mundo pra lá e pra cá, Zé Pelintra é quem vai curar (2x)
“Dessa água eu não beberei!”, tem mané que só pensa assim
No final ele acaba na tenda, pedindo arrego e Pelintra põe fim
No final ele acaba na tenda, segura Pelintra, é quem cuida de mim
Nhem, nhem, nhem... Zé pelintra é quem cuida de mim (2x)

2
A Jurema tomba aqui, tomba ali, tomba acolá (2x)
Olha o tombo da Jurema, olha o tombo que ela dá (2x)

3
Atina, atina (2x)
Seu Zé Pelintra não tem medo de mandinga.
Seu Zé Pelintra é um moço educado,
Não gosta de quem anda errado por aí a fazer confusão.
E nesse embalo que o fulano entra no couro,
Seu mulato fica louro de tanto levar lição.

4
Bravo, Senhor, bravo, seu Zé Pelintra chegou (2x),
Matou pai, matou mãe, matou padrinho e madrinha,
Matou um cego na estrada e um aleijado na linha.

5
De terno branco, seu punhal de aço puro,
O seu ponto é seguro quando vem pra trabalhar.
Segura o negro, que esse negro é Zé Pelintra,
Na descida do morro ele vem pra trabalhar.

6
Din din din din, dindin rin din din din din din... (4x)
Pulando cruzado no meio do terreiro chegou
Povo da Bahia, do Congo, da Lei de Nagô (2x)
Chegou Zé Pelintra que veio do lado de lá, 
Fumando e bebendo e gritando: “Vamos saravá!”
Saravá, ô ô, saravá! Saravá, ô ô, saravá! É Zé Pelintra!
Saravá, ô ô, saravá! Saravá, ô ô, saravá!
Din din din din, dindin rin din din din din din... (Firma ponto!) Din din din din, dindin rin din din din din din... (Risca ponto!) (4x)
Ele firmou seu ponto para saravá seu axé
Povo da Bahia é povo que tem muita fé (2x)
Saravá, ô ô, saravá! Saravá, ô ô, saravá! É Zé Pilintra!
Saravá, ô ô, saravá! Saravá, ô ô, saravá!

7
Doutor, não despreze esse moço, doutor (2x)
Esse moço de branco, da pele queimada, também é doutor. (2x)

8
Eu vi um mestre na mesa, coitadinho dele só (2x)
Uma pena de arara e magia de catimbó (2x)
Seu Zé não deve nada a ninguém. (4x)

9
Zé Pelintra, Zé Pelintra, boêmio da madrugada
Vem na linha das almas e também na encruzilhada (2x)
O amigo Zé Pelintra que nasceu lá no sertão
Enfrentou a boemia com seresta e violão
Hoje na Lei de Umbanda acredito no senhor
Pois sou seu filho de fé, pois tem fama de doutor
Com magias e mirongas dando forças ao terreiro
Saravá, Seu Zé Pelintra, o amigo verdadeiro! (2x)

10
Seu Zé Pelintra, onde é que o senhor mora? 
Seu Zé Pelintra, onde é sua morada? (2x)
Ele não pode lhe dizer por que você não vai lhe compreender
Ele nasceu no Juremá, sua morada é bem pertinho de Oxalá (2x)

11
Quem é aquele moço sentado logo ali? 
Com terninho branco, chapéu de palha, olhando pra mim? (2x)
É Zé Pelintra, ele é o Zé
Ele é malandro, ele é boêmio, ele é de fé (2x)

12
Oi, Zé, quando vier da lagoa
Toma cuidado com o balanço da canoa (2x)
Oi, Zé, faça tudo o que quiser, ô, Zé
Só não maltrate o coração dessa mulher (2x)

13
Tava sentado numa mesa da Jurema,
Afirmou seu ponto, balançou seu maracá (2x)
Ele salvou foi a Jurema preta
Seu José Pelintra dê um tombo e venha cá(2x)

14
Ele é o cara, ele é o cara, ele é o cara
Abre a roda, minha gente, Zé Pelintra já chegou (2x)
Aruandê, Aruanda, vem de Aruanda
Seu Zé Pelintra já chegou pra trabalhar (2x)
Ele é doutor, compositor, é corretor, é professor, historiador
No catimbó ele é doutor, é mensageiro de Oxalá (2x)

15
O meu mestre, Rei dos Mestres, chegou (2x)
E nesse salão entrou (2x)
Vem chegando de mansinho, ele vem (2x)
O meu Mestre, Rei dos Mestres da Jurema de lá
O meu Mestre, ele é Rei de Juremá (2x)

16
No tronco do Juremeiro, Zé Pelintra assentado
Fazendo o seu catimbó, dava conta do recado (2x)

17
Seu Zé Pelintra com sua ternura
Sentado no tronco ele reza as criaturas (2x)
A estrela de Oxalá no céu iluminou
Seu Zé Pelintra é nosso protetor (2x)

18
Seu Zé, ele é mestre de Aruanda 
Saravá a sua banda, vem chegando devagar (2x)
Quando ele chega, chega sempre sorridente 
Com um cigarro entre os dentes, de branco para amenizar
O desamor que existe nessa terra 
Sabe nos livrar da guerra e sem mais quer nos levar
Não há demanda que possa lhe derrubar 
Ele é cabeça feita tem um nome a zelar 
Mas desaforo não aceita, nunca se deixa levar 
Ele sempre ajuda a quem nele tem fé, saravá, seu Zé 
É na palma da mão e cantando com fé, saravá, seu Zé, oi
Saravá seu Zé (3x), ele sempre ajuda a quem nele tem fé

Dona Rosa Malandra

1
Salve a rosa vermelha, salve o cravo encarnado
Salve a Malandra Rosinha
Seu Zé Pelintra e todo o seu reinado (2x)
Rosa Malandra ela é, Rosa Malandra ela é
Rosa Malandra é uma malandra de fé (2x)

2
Malandra de fé é assim
Uma flor nunca pode ser ruim (2x)
Passou pela encruza de madrugada
Quebrou a teima do feiticeiro
Depois se arrumou na maior pinta
E foi se encontrar com Seu Zé Pelintra 
Malandra qual é a sua banda? 
Ela é Dona Rosinha de Aruanda (2x)

Seu Jorge Malandro

Jorge Malandro é mano do Zé Pelintra (2x)
Na madrugada ele quebra feitiço (2x)
Jogou a macumba no colo do inimigo (2x)

Malandros 
1
Agora pro seu morro vai subir,
Meu Deus, eles já vão embora
Conversa de malandro não tem fim
Boa noite, meu senhor, boa noite, minha senhora

2
Eles são malandros, sim, eles são pistoleiros da Bahia. 
Seu Zé Pelintra nunca perdeu a fé
Foi morto fuzilado na porta do cabaré

3
Olha o trem da Central apitou, ele apitou e tornou a apitar
E malandragem aqui já tem demais
Eles vão se mandar lá pra Praça Mauá (2x)

Pontos de Domínio Público.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.

onselectstart='return false'