Seguidores

Rádio da Malandragem - Blog Malandros e Malandras;

terça-feira, 17 de maio de 2011

Pontos Cantados na Umbanda ao Seu Zé Pelintra e ao Povo da Malandragem :



Será que foi feitiço seu Zé?
Pra eu ficar, do jeito que eu Fiquei.
Sete dias andando,
Sete dias bebendo por aí, só pra ver passar,
Aquela linda mulher.
Olha ela aí seu Zé, olha ela, aí,
Girando assim,
Como dama gira na Noite de Cabaré!



Você tá vendo aquela casa pequenina, lá no alto da colina
Que eu mandei fazer...
É Lá que o malandro mora,
Otário não tem Moradia.


O morro de Santa Tereza tá de luto,
porque o malandro Morreu.
Ele não morreu, ele desapareceu...
Na decida da ladeira seu Zé Pelintra apareceu.


Ô Zé quando for para lagoa
toma cuidando com o balanço Da canoa.
Ô Zé faça tudo que quiser
só não maltrate o Coração dessa mulher...


Zé Malandrinho do morro preciso de você pra me tirar de um Sufoco, A vida sem você, não vale nada, Zé Malandrinho, meu camarada.



Quando eu desço do morro,
A nega pensa que eu vou trabalhar,
Eu trago o meu baralho no bolso,
Meu cachecol no pescoço,
E vou pra barão de Mauá,
Trabalhar, trabalhar pra que?
Se eu trabalhar eu vou morrer!



Estava sentado na praça,
Quando a polícia chegou.
Eu tenho um sentimento profundo
Me levaram preso como um vagabundo.


Zé, Zé Pelintra enganador,
Enganou a moça dizendo que era doutor,
Zé, Zé Pelintra enganador,
Enganou a moça dizendo que era doutor,
Eu não, não fui eu que enganei,
Quando eu passava, ela dizia Zé pelintra meu amor.

Sou eu José pelintra,
Nego do pé arranhado,
Na direita eu sou bonzinho,
Na esquerda eu sou danado,
Seu doutor, seu doutor
Zé pelintra chegou.


Seu Zé Pelintra
Na Aruanda ele é caboclo
Deus me de força
Pra com ele eu trabalha
É o rei
É o rei
É o rei do panamá
É o rei
É o rei
Ele é rei
No meu congá
Salve seu Zé! Saravá

De terno branco seu punhal de aço puro,
Seu ponto é seguro,
Quando vem pra trabalhar,
Segura o nego, que esse nego é Zé pelintra,
Na descida do morro,
Ele vem trabalhar.


A história de um, certo Zé eu agora vou contar, ele fez uma
Promessa, nos braços de iemanjá, a canoa já virou, olha a marola
Lá no mar, se salvasse a sua vida da bebida, ele ia largar por
Causa dessa promessa, nego Zé se transformou saravá seu Zé
Pelintra na umbanda ele é doutor.


Se a rádio patrulha,
Chegasse aqui agora,
Seria uma grande vitória,
Ninguém poderia correr,
Agora que eu quero ver, quem tem malandro não pode correr.


Bravo senhor, bravo, seu Zé Pelintra chegou,
Matou pai,matou mãe
Matou padrinho e madrinha,
Matou um cego na estrada,
E um aleijado na



Neste dia tão brilhante todos nós vamos louvar
O amigo importante, que na Umbanda não pode faltar
Ele é seu Zé Pelintra que vive na vadiagem...
Ele é chamado de Rei, é o Rei da Malandragem!
Mas ele é... mas ele é...
Seu Zé Pelintra também chamado de Zé...



Pulando cruzado no meio do terreiro chegou Zé
Pelintra que veio da Gege nagô. Chegou Zé pelintra que veio do
lado de La. Fumando e bebendo dizendo vamos sarava...



Pegue o papel e tire o prateado
Aperte bem fininho, está pronto o baseado!
Salve seu Zé, salve a malandragem!

Coitada da vizinha da esquina,
que foi falar mal do seu Zé ,
Vejam o que aconteceu com ela
virou mulher de Cabaré!


onselectstart='return false'