Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

Edição - Falanges de Malandros - Malandros e Malandrinhos do Cais e Beira do Cai

Olá meus queridos seguidores, peço desculpas pela demora em escrever textos, estarei dando continuidade a partir de agora aos textos sobre as falanges de Malandros.
Os Malandros e Malandrinhos do Cais e Beira do Cais, compõem em sua grande maioria um grupo de homens que trabalhava próximos ás águas, muitas atividades foram desempenhadas em suas vidas como encarnados, marinheiros, estivadores, pescadores, carregadores, encarregados, donos de bar, músicos (boêmios), cafetões, escravos, entre outros. Suas vidas foram construídas aos arredores do confluir das águas. São essencialmente calmos em suas manifestações, ponderados, só falam o extremo necessário, tem ligações com a linha dos Marinheiros, mas afirmam categoricamente que não o são. Quando apresentam - se como Malandros, tem trabalhos distintos, transitando entre a direita e a esquerda, módulos próprios determinantes nos trabalhos das entidades, o que não ocorre com Marujos, que são estritamente alocados na direita. Trabalham muito para questões afetivas, empregos e negócios em geral, são negociadores em maestria. É uma falange muito nova na Umbanda, cujo os terreiros tendem a "cruzar" com Marujos. É muito importante que as entidades tenham espaços distintos, para executar seu trabalho de forma harmônica, e permitindo que todas as linhas sejam desenvolvidas pelo médium. Eles não se importam de atuar com as Malandras da mesma falange, porém alguns ainda estão tentando recuperar - se, pelos atos do passado. Existem dividas cármicas entre eles e as moças, por muitas terem sido enganadas (amor, negócios), aliciadas (prostituição) e pelas brigas por não permitirem mulheres nos cargos masculinos da época.
Características :

Indumentária: branco e vermelho, preto e branco, azul e branco, todo branco e cinza.
Fumo: Cigarro de filtro vermelho, cigarro de filtro branco e charutos de boa qualidade.
Bebidas: Rum, cachaça, cerveja branca, gim, entre outros.
Comida: Sardinha, camarão, manjubinha, ovos de codorna, linguiça frita, entre outros.
Fundamentos: baralhos (tem preferência pelo verso vermelho e azul), dados brancos, dados coloridos, dados vermelhos, canivetes, navalhas, moedas, búzios, naipe de copas, dominós, baús, caixas, chaves, velas brancas, velas de cera, entre outros.
Salve a Malandragem !
Salve os Malandros do Cais !


Espero que vocês tenham gostado !
Fotografia : Carregadores de Açúcar no Cais da Alfândega, Bairro do Recife, Década de 1940 (Foto: Alexandre Berzin).
onselectstart='return false'