Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

As Faces de Maria: Pombagira Maria Navalha


Olá amigos seguidores, irmãos de axé, companheiros de jornada, antes de iniciar mais um texto, quero deixar claro que foi muito difícil estudar sobre esse tema, desde que me conheço por gente, o que vi em umbandas, em toda minha trajetória como umbandista eu tive imensa dificuldade de entender o mistério de Maria sob a corruptela Pombagira. 
Apesar de ter grandes amigos que a tem como guardiã, sempre aprendi, vi e conheci suas outras faces (Mestra, Baiana e principalmente Malandra), a minha Maria também sempre me passou que é uma Malandra, porém, após alguns anos, muito estudo, aprendizagem, evolução e humildade, comecei a compreender que Maria Navalha usa de vários arquétipos para exercer seu trabalho nos terreiros. 

Antes de estudarem mais a fundo sobre seu mistério nos terreiros, ou começarem os desenvolvimentos com Malandros e Malandras, ela não era aceita, nem como Pombagira, muito menos como Malandra. As antigas zeladoras a temiam, muitos tinham preconceito, sua fama era ruim, suas histórias mal contadas, Maria não simbolizava luta, na visão errônea e preconceituosa, nossa Maria era só dor. Muitos dirigentes lhe torceram o nariz, afirmaram que era "perigosa", hoje ela é popular em muitos terreiros, comanda giras de malandragem, fazem festas, homenagens, sambas, músicas, eventos, mas nem sempre foi assim.

A Maria Navalha que se apresentava como Pombagira muito antigamente, é bem diferente da Malandra que conhecemos, ela é extremamente séria, era muito rara, mais raro ainda seu trabalho ser desenvolvido. Existem casas que não sabiam ao certo o que Maria era, diziam ser dama das comadres por vestir vermelho, mas ela quis jogar baralho, então muitos para zombar disseram: é um Malandro. Muito pior quando Maria afirmou usar calças, a calça foi o grande marco da linha das Marias Navalha, e tem muitas explicações para ela. Essa parte da indumentária era roupa de muitas quando encarnadas, algumas por simplesmente quererem ficar mais a vontade, outras por não aceitarem o papel feminino (saias longas, anáguas, ser dona de casa, não poder beber, brigar, amar muitos homens ou amar mulheres). Até disso falaram, muitos para desmerecerem ela, falaram dos amores do passado, dos amores impossíveis de algumas, falaram que era "Sapatão". Não existe sexualidade para uma entidade, existe prazeres das suas vidas encarnadas, que nada alteram seu trabalho espiritual. Os Malandros e Malandras foram homens e mulheres como nós, amaram, erraram, acertaram, tiveram amigos, inimigos, empregos, jogos, famílias, religiões e todas as coisas que fazem parte da humanidade. Essa "peça" de roupa também foi o divisor de águas para as Malandras se apresentarem, elas através disso, começaram a incorporar mais nos terreiros, trazendo espíritos que por muito tempo lutaram pra fazer o que gostavam, para trabalhar em empregos "masculinos", para lutar, para gingar capoeira, para serem reconhecidas como mulheres no meio de tantos homens, para poderem se apresentar como "Malandras". Mas Maria não se deixou abater, ela seguiu em frente na Umbanda, hoje, graças a Maria, podemos dizer que existe espaço para essas moças, existe um bom caminho, oferendas, saudações e muita devoção. Hoje existe um trabalho para todas as faces de Maria, porém quase qualquer terreiro reconhece que existem Malandras. Não mais só um arquétipo, ou Navalha Pombagira, ou os termos usados antigamente "Pombagira Malandreada", "Pombagira Malandra", muito utilizados quando a linha ainda não estava estabelecida, no momento que ainda era pouco conhecido o trabalho de Maria, ou terreiros que não acolhiam "Malandras".

Alguns poucos terreiros ainda trabalham com o arquétipo Pombagira, eu parei de condenar, parei de julgar os que são diferentes de mim, porque se louvam com fé e a entidade atende, com certeza Oxalá está ali.

Características da Pombagira Maria Navalha:

Indumentária: Uma grande característica, elas raramente usam chapéu, as que conheci não usam.
Gostam de vermelho, preto e dourado. Utilizam jóias, principalmente na cor dourada ou ouro velho. Apreciam saias, também não conheço as que usam calças, não existe uma proibição quanto a isso, porém elas são mais femininas que qualquer outra face de Maria, são as que gostam de saias, maquiagens, os trejeitos de Pombagiras.

Fumo: Cigarros (cigarrilhas) de todos os tipos, principalmente filtro longo.

Bebidas: Gostam de champanhe, licor de anis, cachaças. Apreciam taças.

Comidas: Gostam de Padê com bastante dendê, pimentas, carnes, não tendo muita preferência por flores.

Sua principal Arma são punhais, mas podem eventualmente utilizar navalhas (navaletes).

Nem sempre utilizam oráculos, essa é uma das diferenças entre elas e as Malandras, também não é obrigatório terem dados ou baralhos em seus fundamentos.

Obs 1: Não falarei de outras Pombagiras, tendo em vista que já existe bastante material sobre as guardiãs. E o blog tem enfoque em Malandras e Malandros.

Obs 2: Eu não acreditava nessa entidade, mas fui humilde em entender que existe, assim como seus raros médiuns, porém, continuo cultuando como Malandra (Baiana/Juremeira) no meu terreiro. Nada contra terreiros que cultuam como Pombagira, na minha banda ela só se apresenta com as outras faces.

Obs 3: Essa postagem é única e exclusivamente para entendermos porque Maria tem muitas faces, as diferenças entre as Marias, mas não deve servir como pauta de discussões inúteis como : "Navalha só existe de tal forma", "Navalha Malandra não existiu". Respeite a umbanda que seu irmão pratica, mas também respeitem as Navalhas Malandras, Juremeiras e Baianas.

Obs 4: Você pode ter uma Pombagira Maria Navalha e uma Malandra Maria Preta, ou uma Pombagira Maria Mulambo e uma Malandra do Cais, você não terá uma Malandra Maria Navalha e uma Pombagira Maria Navalha, mesmo que de falanges diferentes, pelo simples fato que você precisa trabalhar com uma dessas energias e equilibrar, você vai aprender com uma falangeira de Navalha de alguma face, mas terá outras mulheres para aprender (Padilhas, Mulambos, Meninas, Figueiras, etc).

Obs 5: Elas costumam trabalhar de acordo com sua Falange e acompanham o Exu do Médium:
Exemplo: Navalha das Almas - Exu Caveira, não necessariamente com Malandros, aliás seu trabalho é focado na Linha de Esquerda, e suas atuações com Exus, Exus Mirins e Pombagiras.

Estou a disposição para qualquer dúvida !
Muito Axé pra todos vocês !

Obs: Este texto, assim como os outros, estão proibidos para cópias, sejam parciais ou integrais, sem prévia (expressa) autorização da autora. Não copie. Plágio é crime.

onselectstart='return false'