Seguidores

terça-feira, 4 de março de 2014

Lá vem Zé ...




" Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé, lá da Jurema,
Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé do Juremá.

Zé Pelintra desce o Morro, de Santa Isabel Malandreado,
Com seu copo de cerveja, o cigarro e seu chapéu de lado,
Na boca de quem não presta, Zé Pelintra é vagabundo,
Não teve pai, não teve mãe, foi criado pelo mundo.


Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé lá da Jurema,
Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé do Juremá.

Nascido em Alagoas, foi criado na Bahia,
Por onde ele passava mulher sempre ele tinha,
Certa noite caminhando uma nega ele encontrou,
Estava tão machucada mesmo assim ele ajudou.


Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé lá da Jurema,
Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé do Juremá.


O tempo foi se passando e a nega melhorou,
E por Seu José Pelintra, a Maria Padilha se apaixonou,
Um amor inexplicável que ninguém viu nada igual,
E foi graças a Rosinha que chegou ao seu final.


Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé lá da Jurema,
Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé do Juremá.

Em meados de Agosto, a notícia aconteceu,
Foi naquele dia 14, Zé Pelintra faleceu,
Uma morte tão covarde, foi pego na traição,
A facada foi nas costas e acertou seu coração.


Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé lá da Jurema,
Lá vem Zé, lá vem Zé,
Lá vem Zé do Juremá."

(Cantiga Lindíssima com Autoria de Cristiano Umbanda)

Fonte das Imagens : Internet.


onselectstart='return false'