Seguidores

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Malandrinho das Almas


O querido Malandrinho das Almas, é um dos Malandros, que tive a Honra de conhecer, conheço pouco de sua história, trechos que foram sendo escritos a partir de relatos, quando o mesmo está incorporado.

Quando Encarnado o mesmo se chamava João Paulo, foi assassinado brutalmente com apenas 18 anos, desencarnou o João, mais nasceu o grande Malandrinho das Almas, ele é Novo, é faceiro, mais trabalha muito bem e realiza os trabalhos na espiritualidade com grande seriedade e dedicação.



Morou no Rio de Janeiro a maior parte da sua vida, aprendeu muito com a dureza que a vida ensina, passou por onde não devia, conheceu coisas que não prestavam, mais era o submundo, e depois de tantas dificuldades, as “facilitações” daquele meio, meio que fascinaram o “moleque”. Ele sabia que aquilo não era vida, e que o futuro poderia ser ingrato, mais ele queria mais a boêmia, curtia essa vida, cada minuto tinha que ser bem aproveitado.



Nas Giras de Malandros, nos Terreiros de Umbanda, por aí a fora, é sempre muito animado, muito elegante e principalmente muito querido. É um grande amigo mais de poucos, ele escolhe muito bem e sabe como tratar as pessoas, ainda mais as que merecem e as que não merecem. É brincalhão, mais está atento a tudo, vigia cada passo, e as palavras das pessoas ao redor dele, não se nega a responder as coisas, mais também quando responde, valha-me Deus, com todo respeito, responde tudo muito bem, e muito bem explicadinho.

“É quase um recado, tu não queria ouvir parceira, agora vai ter que escutar...”


Seus Gostos são muito apurados, gosta de tudo de bom gosto, e tem que ser bem feito.


Gosta de Cigarro de Filtro vermelho em especial, porém raramente gosta do filtro branco também.


Sua bebida favorita é o clássico da Malandragem, a cerveja branca de boa qualidade.


Suas cores são Branco e vermelho tradicionais, porém gosta muito das cores que representam sua origem, como o branco e preto ( devido sua ligação com as Almas ).


É um Malandro que gosta de Roda de Samba, mais também é "chegado" a um Catimbó.


Dentre suas comidas, estão a Sardinha Frita no Dendê, o Salaminho, o queijo coalho e a azeitona.Nisso ele é exigente, gosta da comida dele, sempre a postos.


É respeitoso com as mulheres, brinca, mais sem perder a elegância e charme, que faz todos o terem como bom amigo.


Pontos Cantados de Seu Malandrinho das Almas:

“Moleque perigoso era meu nome,
Na roda de baralho eu me criei,
Por causa de uma mulher perdi meu nome,
Por causa de uma mulher me regenerei.”

“Tava sentado no muro
Fumando bagulho, a polícia chegou,
Joguei o bagulho pro lado,
Saí no Pinote, ninguém me pegou,
Houve tiroteio, houve confusão,
Bateu na porta, o camburão.”



Cantigas de Umbanda - Domínio Público.

Salve Malandrinho das Almas !

Salve a Malandragem !

onselectstart='return false'