Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

segunda-feira, 14 de maio de 2018

Malandros da Linha do Trem - Um humilde ensinamento.


Alguns seguidores já me pediram para falar de Malandros "da Linha do Trem", ou Malandros das esquinas, e muitos outros "nomes". Eu sempre falo que não sei, que não conheço. Eu tenho humildade para dizer que não sei tudo, que não sei nada, e que respeito o irmão. Mas o caso é que as vezes o que eu supostamente "sei" pode ferir e muito, a doutrina de vocês. A minha intenção com a escrita é ajudar as pessoas, cumprir missão e executar claramente as ordens de Maria. E ela me cobra diariamente estudo, não há filtro, só ordem. Muita ordem, grande disciplinadora, não há carrasco, só Maria. E ela quase nunca está para brincadeira. Diante disso, vou esclarescer mais alguns nomes, se o celular permitir rs.

Se você não concordar, conteste, me ensine, me fundamenta sobre o Malandro ou Malandra, ensine para todos nós.

Malandros da Linha do Trem : Linha do trem não constitui uma falange no astral, dentro das falanges de Malandros não existe uma hierarquia, como existe nas outras. 

Exemplo : Zé Pelintra (chefe) - Zé Pelintra da Estrada - e mais uns 400 " Zés", ou seja, espíritos com essa roupagem, nome espiritual e por aí vai.
Mas Linha do Trem é um local de passagem muito importante, lá podem ocorrer reuniões, encontros entre Malandros e alguns tem muitos fundamentos, por terem vidas atreladas ao local. Também existem ligações fortes por conta do Orixá Ogum.
Esse mesmo Malandro tem uma falange, mas para não expor, ele diz : sou da Linha do Trem, ou seja, local aonde ficava quando encarnado. Não deixa de ser um ponto de energia, mas não é Falange, é passagem, ciclo, vivência. Muitos Malandros e Malandrinhos da Estrada e Encruzilhada podem fazer isso.

Malandro da Esquina, mais um grande local de passagem, não é falange constituida no astral, simboliza o local aonde ele tem ligação. Pode ser local do desencarne, bar frequentado, local aonde cometeu dividas, débitos com a espiritualidade, encontro com meretrizes, por ai vai.
É Comum Malandros da Encruzilhada e Do Morro darem tal nome.

Malandro da Praia. Entre a areia e o mar, existem poucos fundamentos da Malandragem, e se o mar fosse falange dele, o trabalho espiritual ficaria muito limitado. Mesmo assim, não impede de Malandros da Calunga, darem esse nome, como "da Praia", para esconder suas reais funções. Isso confunde sabichões, médiuns sem doutrina, entre outros. Acho que ninguém se atenta realmente ao Malandro da Calunga. Outro ponto interessante : Não existem Malandros do Lago, rio, etc. Porque o fundamento correlacional é Praia  Calunga.

Malandro da Brilhantina. Produto usado nos cabelos em décadas passadas, mais uma vez a vivência interferindo no "suposto nome".

Malandro Da Casa Amarela. É ligado ao Bairro Casa Amarela, por causa do catimbó. Não é falange, mas tem muito haver com os Mestres do Culto Nordestino.

Malandro da Baixa do Sapateiro. Representam Dois lugares, um situado no Rj, outro na Bahia, basta investigar a vida passada da entidade, vai identificar a vivência, depois pedir o nome e a falange correta.

Muitos Malandros ocultam nomes , sua incorporação é genuina, mas como muitos médiuns levam tudo ao pé da letra, geram confusões. Essas confusões são levadas para frente, e outros médiuns mistificadores ou animicos inventam mais, e mais nomes.

Essa postagem não visa ofender ninguém e poderá ser alterada a qualquer momento, caso eu necessite reconhecer meus erros.

Axé !

onselectstart='return false'