Direitos Autorais

Todas os textos, sejam parciais ou integrais, fotografias e imagens de todas e quaisquer criações incluídas neste blog/site estão sobre a proteção da LEI DO DIREITO AUTORAL Nº 9.610, de 19 de fevereiro de 1998. Portanto, é proibida qualquer reprodução ou divulgação das mesmas com fins comerciais ou não, em qualquer meio de comunicação, inclusive WEB, sem prévia consulta e aprovação. Não copie! Entre em contato: priscilacartomante@hotmail.com

segunda-feira, 7 de maio de 2012

Malandrinha da Estrada



Quando encarnada, vivia numa Província, localizada na França. Perdera a Mãe muito cedo, e seu pai, era jardineiro, de uma família abastada.Desde de pequena, fora criada, entre os empregados, vivendo uma realidade muito simples, porém feliz.Aos 14 anos, tornou-se Dama de companhia das nobreza, acompanhava sua Senhora a todos os lugares, e sempre viajou muito.Numa dessas viagens, foi ao Sul da França, onde existiam Campos de Flores belíssimos, numa tarde, ao longe, observando a beleza do lugar, avistou um homem, ele era alto, belo e forte, tinha olhos negros, e um sorriso encantador.Ele era um Lenhador. Seu nome era François, ele ficou encantado, com a beleza da moça, apresentou-se, e quis tão logo, mostrar-lhe os Campos.

Enquanto suas Senhoras, tomavam chá, num antigo chalé, propriedade da Família, ela encontrava - se, todas as tardes, com François, e passavam algumas horas conversando, apreciando a paisagem, ela ficava muito feliz ao vê-lo, gostava de ouvir as histórias dele, sobre o povo daquela região, que tinha muitas superstições e mistérios.

Num desses passeios, François de uma maneira sedutora, á envolveu, e roubou- lhe um beijo, ele foi seduzindo,e arrancando vários beijos, nos dias sucessivos, a menina que era muito inocente e simples, foi deixando envolver-se.

Depois de algum tempo, ele pediu ela em namoro, ela ficou muito feliz e aceitou, porém depois de algumas semanas, ela ficou doente, sendo assim não pode ir vê-lo, contraiu tuberculose, o que a deixava por dias acamada, ficando aos cuidados das outras empregadas da casa.Numa noite, sem estrelas, com a Lua coberta de nuvens negras, ela na cama, ouviu a voz de seu amor, vindo do celeiro, o celeiro da casa antiga, ficava próximo aos quartos das empregadas.

Por teimosia, e inconsequência, ela levantou-se, com dificuldade, e foi até próximo ao celeiro, imaginando que François, tinha ido visita-la, porém com descrição, para os patrões não perceberem, e por certo, sua prometida, ser descoberta.

Chegando próximo ao Celeiro, ela foi buscando a voz de seu amado, foi quando o encontrou aos beijos, com sua patroa mais nova, sinhazinha como chamavam, ela ficou horrorizada com isso, tomou nojo, e quis gritar, porém sua voz não saia, estava em choque. Se os patrões descobrissem o namoro da sinhazinha, iriam castiga-la, pois a mesma, já era prometida a um jovem de família rica francesa, então sinhazinha pediu a François, para calar a boca, da pobre menina, ele interessado no assunto, e com medo da reação da família, da sinhazinha, acatou a sua ordem,e raptou a bela jovem, levando a até a floresta, que ele conhecia muito bem, ali, ele a amarrou, e por diversas vezes a humilhou.Depois de tanta crueldade, a menina não imaginava que ele, aquele homem, que ela confiou tanto pudesse, ser capaz de algo tão terrível, ele empunhou seu machado, e por 14 vezes a apunhalou, foi um triste desencarne, aos 16 anos.

Ela vagou por muito tempo, pelas estradas, perdida, e muito confusa, até que depois de alguns anos, ela viu um túnel, e algumas mulheres, na mesma condição que a sua, adentrando este lugar, ela entrou com um certo medo.Este túnel, era o caminho para uma Colonia Espiritual , ali foi acolhida, muito tratada e depois de recuperada, sentiu necessidade de ajudar as pessoas.

Espíritos superiores, lhe esclareceram sobre a Religião Umbanda, e a grande necessidade de espíritos em condição evolutiva, para trabalharem buscando o Bem, ela ficou muito encantada, e feliz pela oportunidade, agradeceu e foi preparada para suas primeiras incorporações.

A Origem, o ponto de força que lhe deram foi a Estrada, já que é um lugar, que tem muito a ver com sua trajetória encarnada.

Hoje ela vem nos Terreiros com esse nome Malandrinha da Estrada, trabalhando para aquelas que como ela, sofrem com o Amor, e também atuando nas Limpezas Astrais dos Terreiros.


É uma Malandra séria, conselheira e amiga, e não gosta de perder tempo com bobagens.

Trabalha na Falange de Malandras da Estrada, junto ao Malandro da Estrada.

Características :

Indumentária : Saia Longa Rodada branca, com detalhes vermelhos.

Bebida : Gosta de Whisky, cerveja e batidas.

Comidas : Gosta de queijo coalho, azeitona e salaminho.

Gosta que suas Oferendas, sejam depositadas em Estradas.

Gosta de Flores, em especial Rosas e Cravos Vermelhos.

Fumo : Gosta de Cigarros com sabor forte, alguns com sabor, como canela e cravo.

É uma senhorita, por isso é vaidosa, mais sem exageros, aprecia um bom perfume, e batom, porém trabalha com humildade, e mesmo se não tiver essas coisas.

Essa é a Malandrinha da Estrada, uma entidade muito bonita, que vem ajudar a quem precisa, nos centros de caridade.

Saravá Malandrinha da Estrada.

Salve a Malandragem!



Esse texto é meu, com intuição, da Malandrinha.

Obs: Este texto, assim como os outros, estão proibidos para cópias, sejam parciais ou integrais sem autorização prévia (expressa) da autora. Não copie. Plágio é Crime.


onselectstart='return false'