Seguidores

Rádio da Malandragem - Blog Malandros e Malandras;

sábado, 25 de junho de 2011

Sambas da Malandragem - Samba Meu;


Samba Meu


Composição: Rodrigo Bittencourt

O meu samba vai curar teu abandono

O meu samba vai te acordar do sono

Meu samba não quer ver você tão triste

Meu samba vai curar a dor que existe

Meu samba vai  fazer,ela dançar

É o samba certo pra você cantar

O meu samba é de vida e não de morte

Meu samba vem pra cá e traz a sorte

E celebra tudo o que é bonito

Meu samba não despreza o esquisito

Meu Samba vai tocar no infinito

Meu Samba é de bossa e não de grito

Meu Samba, defendi com alegria

Deixe que a noite vadia

Vai saber lhe coroar

Deixo entregue aos bambas de verdade

Que estão nos morros da cidade

Peço a benção pra passar

Deixo entregue aos bambas de verdade

Que estão nos morros da cidade

Peço a benção pra passar.

Especial da Malandragem : Pontos de Maria Navalha ;



Mas com um corte no rosto,e uma navalha na mão,

Ela é, ela é Maria Navalha

Uma mulher desgraçada.
******************************************
Apagaram o candieiro, já rasgaram a sua saia

Mas como é que ela se chama

È a malandra da gandaia.
******************************

Oi lá na beira do cais, Maria Navalha ela bebia demais

Ela bebia pelo grande amor

Pelo amor Zé Pelintra,

Que lhe abandonou. 

**********

Pintura do Artista Jerri D'Oxóssi;Montagem By Priscila;

Pontos de Malandra Maria Navalha conforme pesquisa na Internet,desconheço seus autores ,mais terei satisfação de assim que souber seus nomes ,citá-los .

Especial da Malandragem : Pontos do Zé ;


Saravá seu Zé Pelintra,

Moço do chapéu virado,

Na direita ele é maneiro,

Na esquerda ele é pesado.

Cuidado meu camarada,

Não meta a mão em cambuca,

Quem mexer com Zé Pelintra,

Vai ficar lelé da cuca.

Sou filho de Zé Pelintra,

Tenho que me orgulhar,

Pra me livrar de mandinga.

Carrego o meu patuá.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Punhal do Zé;


De terno branco, seu punhal de aço puro,

O seu ponto é seguro,

Quando vem pra trabalhar,

Segura o nego, que esse nego é Zé pelintra,

Na descida do morro, ele vem trabalhar.

Malandrinha da Lapa;


Salve a Malandrinha da Lapa!

Salve a Malandragem !

Malandra Joana Pelintra;


Salve a Malandra Joana Pelintra

Salve a Malandragem!

Malandra Maria Pelintra;


Salve a Malandra Maria Pelintra!

Salve a Malandragem!

Malandra Rosa Pelintra;


Salve a Malandra Rosa Pelintra!

Salve a Malandragem!

Malandra Maria da Lapa;



Atendendo ao Pedido da amiga Livia, sobre a Malandra Maria da Lapa;

Existia uma família muito simples, no Bairro da Lapa, Rio de Janeiro,era composta por um pai ,que tinha muitos problemas com alcoolismo,uma mãe ,dona de casa,que já não agüentava mais ver o marido naquele estado e uma filha ,que foi crescendo com uma grande revolta dentro de si,essa menina era Maria,que ganhara esse nome ,por sua mãe ter devoção na Santa,mais de Santa ,Maria não tinha nada,fugia de casa pra não ver a situação deplorável de seu pai,e não ver as surras em sua doce mãe,ia para a rua,parecia que lá todos os problemas dela iam se apagando,encontrou meninos quase da idade,agora já com 13 anos,fumando maconha,resolveu experimentar,eles lhe ofereceram de bom grado ,contanto que ficasse por ali.Quando voltava pra casa,nenhum dos dois sentia sua presença,seus pais estavam imersos nos próprios problemas,e não ligavam pra aquela menina,que de menina não tinha mais quase nada,aos 15 anos  sua mãe lhe pediu para ir até a venda,as ruas estavam muito escuras,não havia sequer uma alma viva,entre becos e vielas,daquela noite carioca,um homem ,que pela grande escuridão ela não conseguia visualizar direito,a pegou,completamente a força,sem defesa alguma,ele tirou proveito e abusou dela,e lhe disse ,você é a mais frágil que já encontrei ,a mais fácil de me aproveitar .Voltou pra casa,sua mãe perguntando – lhe o que havia ocorrido,mais ela correu e se trancou no banheiro,não queria ninguém ,entrou no chuveiro e ali ficou por horas,chorando,tentando que aquela água lavasse seu corpo e talvez sua alma.

Saiu dali,recolheu as roupas e foi embora ,sem dar explicação e satisfação a ninguém,foi pra rua,não sabia o que fazer,foi andando de rua em rua,beco a beco,viela a viela ,até que chegou a Gamboa,foi quando passou na porta de um Bordel,muito antigo,a dona estava dando uma festa,resolveu entrar ,não tinha nada a perder,mais quem sabe ,tinha a ganhar.

A Velha Cafetina,senhora experiente,avistando a menina,foi logo lhe perguntando as coisas e lhe oferecendo uma vida que parecia mais fácil,ela de pronto ,aceitou,estava em dificuldades,tinha que fazer sacrifícios.

As meninas do velho bordel, a acolheram com irmã,pois era a menina mais nova dali,e quando lhe perguntaram qual seu nome?,Ela disse a elas sou Maria, ah Maria de onde você vem,Venho da Lapa,por isso começaram a lhe chamar Maria da Lapa;

Maria fez amigas, fez fama ,por ser menina faceira,mais uma mulher de força e fibra,ganhou muito dinheiro,perdeu muito também,mais por ali ficou,por 2 anos,se divertindo com as meninas daquele Bordel,que tinha histórias tão marcantes quanto a sua;

Ela ficou forte,decidida ,determinada,precisava sobreviver,e o estupro a fez renascer outra.Estava a passear ,pela Lapa,Bairro que sempre gostou,onde aprendeu a beber,farrear,fumar,jogar dados e cartas,nos velhos botequins,quando numa noite escura , avistou um homem em meio a penumbra,tentando estuprar uma mulher morena meio alta,essa morena era uma Maria também ,Maria Navalha,ela logo puxou sua Navalha e pois se a brigar com o homem,e Maria avistará os dois em meio a peleja,foi quando reconheceu ,era seu estuprador,só não quis ,salvar o pai ,do destino que ele mesmo havia escolhido,chamaram a policia,onde grande confusão,a morena,foi embora correndo ,ganhando cobertura dos outros malandros,mais quando Maria deu conta de si,o sangue do estuprador,corria ,na sarjeta,era o fim da sina do estuprador,seu pai ,havia ganho um triste e trágico fim.

Naquele momento Maria, sabia que tudo havia acabado,ela perdoará o pai,por todo o sofrimento .Maria começou a sentir uma forte dor em seu peito,não era tristeza por seu pai ter morrido,era sangue que escorria por ela também,havia tomado um tiro,como se fosse um bandido,ela caiu,seu corpo ali ficou,seu espírito vagou ,pelas ruas da sua Lapa tão Amada,foi quando um espírito muito evoluído dela se aproximou e lhe disse,você quer ter amor,e salvar-se desse mundo que você mesma se aprisionou,e  ajudar as pessoas,como forma de libertação,ela logo aceitou,foi assim que se tornou entidade e reconheceu que o melhor caminho pra felicidade é a Caridade.

Maria é assim é Menina, é Mulher, é Dama noite e dia na Porta do Cabaré.
Como tantas outras Marias, que sofrem e mesmo assim continuam a luta,é Mulher da Lapa,Malandra quando quer, mulher de muitos homens,mesmo sem saber amar.

Características:

Indumentária: Branca,vermelha ,preta ,amarelo;

Bebida: Cerveja Branca,batidas.

Fuma: Cigarros de filtro vermelho, mais gosta de cigarros finos.

Ponto de Força : A Lapa ,é claro;

Comida: Gosta de lingüiça frita acebolada,salame fatiado,,queijo coalho;

Salve a Malandra Maria da Lapa.
Salve a Malandragem.

Espero que tenha gostado da postagem, um abraço amiga Livia.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Rosa Malandra do Cabaré;


Ela é Malandra sim...

Ela foi pistoleira na Bahia,

Rosa Malandra nunca perdeu sua fé,

Foi morta foi fuzilada, na porta de um Cabaré.


Salve a Rosa Malandra do Cabaré; !

Salve a Malandragem !

Desabafo;


Aos meus queridos seguidores,quero relatar,que eu bloqueei o nosso amado Blog,devido,uma pessoa ,ter copiado meu texto,referente a Malandra do Cabaré,sem nem ao menos citar a fonte,eu nunca fiz isso ,caros amigos e sempre que posso cito fontes e autores,afinal nos apropriar de algo que não é nosso é plágio e é crime,eu poderia até tolerar essa pessoa,se a mesmo tivesse a consideração de citar a fonte;

Eu não bloqueei as imagens,pois nos tempos de hoje ,material referentes a Malandros e Malandras é algo muito raro,sendo assim,temos poucos recursos(imagens,entre outras coisas)Mais espero que se mantém o respeito,pois este  é meu lema,liberdade sempre,mais respeito antes de tudo.

Muita Luz de toda a Malandragem pra vocês !

Um Abraço Fraterno !

Músicas de Malandro ;



Música :

D’malandro


Grupo: Via Perimetral

Na subida da ladeira ganhei muita grana
Apostando no meu time e jogando ronda
Sou conhecido na favela inteira
Por ter partido o coração de muita preta

O meu papo não é "sete" é de malandro
Se a polícia chegar, levanto e sambo
E cumprimento somente o Oficial
Pra garantir no asfalto a minha moral

O meu sorriso faz o bem e às vezes faz o mal
A trilha da minha vida é um carnaval
E só no papo! Só no sapato!
Chapéu na cara e meu olhar de apaixonado

Conquisto o mundo e toda sexta
Partido alto lá em santa Tereza
Boa noite, soldado do beco
Eu sou da lapa malandro do gueto

A minha roupa... é D'malandro
A minha ginga... é D'malandro
A minha pele... é D'malandro
O meu cabelo é duro e a minha banda é D'malandro

Ai, ai, ai...deixa o moço passar.
Samba família... samba de laje.. é gente fina
salve, salve a malandragem!
Ai, ai, ai...deixa o moço cantar.
Esse é o rap, Olha a "responsa"!
Abre a cortina, vai!? Me chama!

Me respeita! Posso não ter faculdade
Mas malandro vira chefe até entidade.
Sem correr, mas sempre prefiro ficar e desenrolar...e desenrolar

Tenho conceito. Amigos em todo lugar
A minha ginga é o meu blá, blá, blá.
O meu contexto é forte. Sou parceiro.
Na roda titular com meu pandeiro.

Jeito faceiro. Talento desde garoto
Na cortesia conquistei a melhor do morro
a melhor do samba, a melhor da pista
a melhor lá do Cacique e aquela passista

Foi de beco em beco, foi de ladeira em ladeira, pode crer!
Foi ouvindo Bezerra
Fazendo uma sorrir e vendo a outra chorando
Foi sambando e cantando


Que a minha roupa... é D'malandro
Que a minha ginga... é D'malandro
Que a minha pele... é D'malandro
Que o meu cabelo é duro e a minha banda é D'malandro

Ai, ai, ai...deixa o moço passar.
Samba família... samba de laje.. é gente fina
salve, salve a malandragem!
Ai, ai, ai...deixa o moço cantar.
Esse é o rap, Olha a "responsa"!
Abre a cortina, vai!? Me chama!

O Brasil é D'malandro
Sei que você é D'malandro
Povo de rua é D'malandro
O meu cabelo é duro e a minha banda é D'malandro

O meu batuque é D'malandro
A minha Gíria é D'malandro
O meu sotaque é D'malandro
O meu cabelo é duro e a minha banda é D'malandro

A minha roupa... é D'malandro
A minha ginga... é D'malandro
A minha pele... é D'malandro
O meu cabelo é duro e a minha banda é D'malandro

domingo, 19 de junho de 2011

Malandro Sete Navalhadas


Salve Malandro Sete Navalhadas !

Salve a Malandragem !




Desconheço o Autor da Pintura.

Malandra + Imagens :)




Salve a Malandragem !

Boa Pedida !


Malandros ,que tal um Relógio de Mesa desse?

Eu adorei e vocês ?

Mais o precinho,huummm,rs,pra alguns vai estar meio salgado!

Az Design – Relógio de Mesa Cartas

Medidas:
Altura: 5,5cm.
Largura: 10,5cm.
Profundidade: 5cm.


Preço: R$ 190,08 R$ 172,80 (em até 6x sem juros)
Garantia: 3 meses.



Gostou ?

Vai lá : 

Salve a Malandragem !

Salve as Malandras;


Salve as Malandras e Malandrinhas !


Saravá a Malandragem !


Salve Dona Maria Navalha e Dona Cabaré 
e Sua Imensa Seara de Luz na Caridade !

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Sambas da Malandragem - Negro Malandro do Morro ;

Negro Malandro de Morro
Negro malandro de morro
Não deixes que o choro vá te atrapalhar
Compõe tuas belas falsetas
Deixe as piruetas que o coração quer dar

Esquece a morena
Que um dia tanto te fez padecer
Afoga a mágoa no samba 
Que a gente bamba vai te entender

Escreve nas rimas de um samba 
A historia que queres esquecer

Se sabes moreno que o samba
Prometeu te enaltecer
Não deixes que a caçamba
Faça a corda roer.


Sambas da Malandragem - Cabide;


Uma Homenagem a Dona Malandra do Cabaré :

Cabide

Mart'nália

Composição: Ana Carolina

Se eu fingir e sair
Por aí na noitada
Me acabando de rir
Se eu disser que não ligo
E não digo e que fico
Só vou aprontar...

É que eu sambo direitinho
Assim bem miudinho
Cê não sabe acompanhar

Vou arrancar sua saia
E por no meu cabide
Só prá pendurar

Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...

Se eu sumir dos lugares
Dos bares, esquinas
E ninguém me encontrar
E se me virem sambando
Até de madrugada
E você for até lá...

É que eu sambo direitinho
Assim bem miudinho
Cê não sabe acompanhar
Vou arrancar tua blusa
E por no meu cabide
Só prá pendurar

Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...
Chega de fazer fumaça
De contar vantagem
Quero ver chegar junto
Prá me juntar, eh!

Me fazer sentir mais viva
Me apertar o corpo e a alma
Me fazendo suar

Quero beijos sem tréguas
Quero sete mi'léguas
Sem descansar

Quero ver
Se você tem atitude
Se vai encarar...


Malandra Rosa do Cabaré;



Salve a Malandra Rosa do Cabaré;

Salve a Malandragem.









Autor do desenho: Andy Rodrigues.

Sambas da Malandragem - Malandro;




Malandro

Interprete : Elza Soares

Composição: Jorge Aragão


Lá, laiá
Malandro
Eu ando querendo falar com você
Você tá sabendo que Zeca morreu
Por causa de brigas que teve com a lei

Malandro
Eu sei que você nem se liga no fato
De ser capoeira moleque mulato
Perdido no mundo morrendo de amor ô

Malandro
Sou eu que te falo em nome daquela
Que na passarela é porta-estandarte
E lá na favela tem nome de flor

Malandro
Só peço favor que te tenhas cuidado
As coisas não andam tão bem pro seu lado
Assim você mata Rosinha de dor.

sábado, 11 de junho de 2011

Sambas da Malandragem - Alma Bohemia;


Amor me perdoa se as vezes eu surto
Serão dessas ondas que eu curto
E não lembro de voltar
Você sabe bem minha doce alma gêmea
Quem tem a alma bohemia, não consegue segurar, segurar
É que o samba pega que nem feitiço
E quando me pega eu enguiço
Só saio quando acabar
Eu vou pra Gamboa e de lá vou pra Lapa
Ai o bom senso me escapa
Amor eu não como evitar
Eu subo a colina e pra minha surpresa
Alguém diz em Santa Tereza, que o dia já vai clarear
Morro dos Prazeres, que você me da
Quando eu não sair de marola, eu vou te levar
Você dorme cedo e eu só vou deitar
Quando dar o tom da viola pro galo cantar


alma

 Bohemia



Toninho Geraes



Composição : Toninho Geraes

terça-feira, 7 de junho de 2011

Sambas da Malandragem - Zé Malandro e Dona Mulambo ...


Tava por aí
Olhando, sentindo, te amando e andando
Gozando sempre
Tava mesmo por aí
Dançando, bebendo, correndo, saindo e ficando
Tomando chuva
Mas tudo bem, cê tava por aí também
Mas, tudo bem, eu tava por aí também
E foi assim que eu te encontrei
Bonita, peituda, cheirosa, pedante, teimosa
Fazendo finta
De vez em quando você vem
Chegando, bulindo, aplaudindo, somando e assumindo
Pintando a sete
Mas tudo bem,cê tava por aí também…
Sou Zé Malandro, sou de rua
e bem que eu gosto
São Jorge é quem manda na lua
me disse que eu tudo posso
A vida continua nua e crua
e muito boa
O vento é o leque da pessoa
que andava a toa
Mas tudo bem, cê tava por aí também…
Você me fez acreditar no calor de um amor do passado
que invadiu,já pintou e bordou noutras vidas
Foi refogando a minha alma com ervas daninhas
Mulambo,bendita, princesa bonita, formosa que me conquistou
Mas quando o tempo fecha a ponte
eu desponto sem teto
é um pretexto pra você ficar por aí.
Mas tudo bem, tava por aí também…











Música : Tava por aí

Cantora : Mart'nália

Composição : Mart´nália / Mombaça


onselectstart='return false'