Seguidores

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Sambas da Malandragem : Moleque Atrevido .



Moleque Atrevido

Composição: (jorge Aragão/Flávio Cardoso/paulinho Rezende)

Quem foi que falou,
Que eu não sou um moleque atrevido,
Ganhei minha fama de bamba,
No samba de roda,
Fico feliz em saber,
O que fiz pela música, faça o favor,
Respeite quem pode chegar,
Onde a gente chegou.

Também somos linha de frente,
de toda essa história,
Nós somos do tempo do samba,
Sem grana, sem glória,
Não se discute talento,
Mas seu argumento, me faça o favor,
Respeite quem pode chegar,
onde a gente chegou.

E a gente chegou muito bem,
Sem a desmerecer a ninguém,
Enfrentando no peito um certo preconceito,
e muito desdém.

Hoje em dia é fácil dizer,
Que essa música é nossa raiz,
Tá chovendo de gente,
que fala de samba e não sabe o que diz,
por isso vê lá onde pisa,
Respeite a camisa que a gente suou,
Respeite quem pode chegar onde a gente chegou.

E quando pisar no terreiro,
Procure primeiro saber quem eu sou,
Respeite quem pode chegar onde a gente chegou.



onselectstart='return false'