Seguidores

quarta-feira, 27 de abril de 2011

Malandro Beto do Sobrado;




Partindo do princípio de suas origens e costumes, os Malandros formam uma colônia de “PESSOAS” espíritos de postura fidalga, com um orgulho machista e elegante ao cortejar o próximo. Muitos são os registros de Malandros na história pelas psicografias, aparições, etc... . Ninguém se chama Malandro, não é verdade? Atente-se então que Malandro é o batismo de uma colônia espiritual em que cada
Malandro tem seu nome próprio da última encarnação. É um ocultismo dos nomes reais destas entidades. Dentre muitos outros que às vezes revelam seus verdadeiros nomes só a quem lhes interessar um dos Malandros historicamente descritos e pouco visto ou ouvido falar no Santo é o Malandro BETO DO SOBRADO.

Homem hiper elegante que desaparecia de 2º à 5º feira, mas de 6º a Domingo abria-se a porta do sobrado e surgia um dos homens mais elegantes da noite, cada semana com um detalhe diferente. Destino do que ganhava, Compram de Jóias, roupas e sapatos.  Malandros tinham o ato de driblar as dificuldades da vida e não obrigatoriamente ver-se que Malandros eram maconheiros, ladrões e marginais.

Pelo contrário eram homens que amavam os jogos, pois ali se aventurava uma possível riqueza momentânea, amavam dançar e não admitia mulher pagar nada, só ele pagava e cortejava as noites. Assim também foi a vida do MALANDRO BETO DO SOBRADO, que um dia aos 51 ANOS, morreu dormindo e seu corpo foi encontrado em seu sobrado. Seus maiores tesouros eram as jóias cromadas, jóias de ouro, prata, seus lindíssimos sapatos e suas alvejantes e impecáveis roupas brancas. Ao seu lado na cabeceira, uma oração escrita em próprio punho para São Jorge. Assim como o MALANDRO BETO DO SOBRADO existe muitas outras histórias interessantes sobre Malandros. E QUE UM DIA PAREM de achar que MALANDRO é cachaceiro, ladrão e tudo de ruim.


Autor: lembá Lerecinã, texto revisado e modificado, conforme minhas considerações.


Imagem também retirada do mesmo site .
onselectstart='return false'