Facebook

Seguidores

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Malandro Zé Pretinho;


Só quem já teve o prazer de ficar frente a frente com essa Entidade sabe do que estou falando, e sabido pelos mais velhos que na década de 1970 em alguns lugares na chegada dessa Entidade diziam assim numa saudação: “chegou Seu Zé da brilhantina, seu Zé das Meninas!” Realmente é uma Entidade que carrega uma essência carismática muito envolvente, mas não significa que é um conquistador vulgar, mesmo porque matéria é matéria e espírito é espírito. Seu carisma afeta as pessoas de um modo muito espirituoso, mas ouvir dizer como se ouvia naquela década (1970) em alguns lugares: “Salve! Chegou Seu Zé Pilintra Moço!” Me perdoem aqueles que de mim discordam, mas ainda não concordo, pois, a falta de informação não deixava e assim ainda hoje transparecer á verdade, quando não havia mistificação, então a falta de informação ou o comodismo deixava que a Entidade permanecesse oculta de sua realidade, isto é, sem revelar-se deixando o tempo passar e as pessoas envolvidas pela fé faziam-se afirmar cada vez mais, embora a Entidade com toda sua sabedoria tinha a plena consciência de que trabalhava pela fé do consulente e não pelo nome que lhe fora dado, enorme falta causada pela imprudência de alguns Dirigentes (Pais e Mães de Santo) não confirmando seus filhos de fé e as Entidades que ali manifestavam-se, o que ocasionava e ocasiona até hoje o inoportuno para muitas pessoas que poderiam estarem de fato incorporando e realizando com mais verdade os seus trabalhos. No meu ponto de vista o Médium só está apto após a sua confirmação e sucessivamente a de suas Entidades, diante de um ritual quase sigiloso que acontece entre Pais/Mães, filhos e Entidades.


Zé Pretinho não poderia obter outro nome senão o seu: ‘Zé Pretinho’; Entidade essa consciente com o bem e o mal, mas que se predispõe ao auxilio da prática da caridade e sempre com o propósito de ajudar aqueles que o procura em busca da esperança de abrir uma porta para um futuro melhor, digo na espera de conseguir uma luz para um emprego, conforto interior e paz espiritual, essas coisas que o dinheiro não paga que são os verdadeiros valores da vida.


Essa Entidade, embora se apresente sempre com a transmissão de muita alegria e espontaneidade, não deixa de ser muito competente com suas designações espirituais, pois trabalha com muita seriedade, sendo que sua evolução espiritual deve-se ao desempenho próprio, de tudo que até hoje vem fazendo em beneficio das pessoas que nele tem depositado sua confiança e fé no criador, então não poderia esta Entidade extraordinária sair do seu nível espiritual, descer degraus e ser confundido com alguém que viveu em algum lugar do Brasil na década de 1950.




Não tenho a permissão para falar tudo sobre ele, mas tenho que deixar claro que quem desencarna na década de 1940 não poderia carregar o esnobe de outra década, como desfrutar de regalias materiais que não encaixam com sua finalidade na espiritualidade e nem em sua passagem pela vida carnal, pois Entidade nenhuma traz na incorporação o saldo material que desfruta na imaginação de muitas pessoas encarnadas.

Zé Pretinho é iluminado! Salve!

Autor : Pai José de Xangô

onselectstart='return false'